Viagra sem receita médica

A ereção é o processo em que o fluxo sanguíneo no pénis aumenta, o que faz com que o órgão se torne maior e mais firme. Esta sensação e estado resulta de uma interação complexa que coloca fatores psicológicos, neuronais, vasculares e endócrinos em simultâneo. Sendo que é muitas vezes ligada à excitação e/ou atração sexual. Como resposta do sistema nervoso autónomo, uma ereção pode resultar de uma variedade de estímulos, e, portanto, não está totalmente sobre o controlo consciente do homem.

Assim, a disfunção eréctil corresponde à incapacidade recorrente de obter ou manter uma ereção satisfatória para poder ter relações sexuais satisfatórias.

Este problema pode ser evidenciado em todos os homens, no entanto em algumas ocasiões pode ser normal. A disfunção eréctil ocorre quando um indivíduo do sexo masculino:

  • nunca consegue atingir uma ereção;
  • atinge a ereção brevemente e repetidamente, mas não a consegue manter o tempo suficiente para ter uma relação sexual;
  • atinge a ereção eficaz de forma inconsistente.

A disfunção eréctil tem algumas classificações diferentes. Em primeiro lugar, pode ser denominada de primária, caso o homem nunca tenha alcançado na vida ou mantido uma ereção. Por outro lado, pode ser chamada de secundária nas ocasiões em que um homem com mais idade já tenha conseguido atingir a ereção em alturas da sua vida.

A disfunção eréctil é uma das disfunções sexuais mais comuns e estima-se que afete 5 a 20% dos homens de forma moderada a grave em todo o mundo. Trata-se de um problema que pode atingir indivíduos do sexo masculino em qualquer idade, embora seja bastante mais comum em pessoas mais velhas. De um modo geral, esta doença afeta 29% dos homens entre os 40 e os 49 anos, 50% entre os 50 e os 59 e 74% entre os 60 e os 69.

Índice:

  1. Causas da disfunção erétil
  2. Como usar
  3. Qual o tempo de duração
  4. Preço na farmácia
  5. Quais cuidados devo ter ao usar
  6. Quais as contraindicações

Causas da disfunção erétil

Numerosos fatores podem perturbar os mecanismos fisiológicos normais envolvidos na ereção. Pensava-se que a maioria dos casos de disfunção erétil era de origem psicológica, no entanto, atualmente, é de conhecimento médico que a maioria tem uma causa orgânica, especialmente nos doentes mais idosos. Em cerca de 40% dos homens com mais de 50 anos, a causa primária da disfunção erétil está relacionada com a doença aterosclerótica. Neste aspeto, os fatores de risco são semelhantes aos da doença cardiovascular. No entanto, a disfunção erétil pode, também, estar associada a fatores psicológicos, neurológicos, hormonais, farmacológicos e endógenos (penianos), como podemos observar no seguinte quadro:

  • Perturbações psicológicas. Depressão, ansiedade.
  • Perturbações neurológicas. Doenças cerebrais, lesão da medula espinal, neuropatia periférica, lesão do nervo pudendo, doença de Parkinson.
  • Perturbações hormonais (deprimem a libido). Hipogonadismo, hiperprolactinemia, híper- ou hipotiroidismo, síndrome de Cushing, doença de Addison.
  • Perturbações vasculares. Aterosclerose, doença cardíaca isquémica, doença vascular periférica, insuficiência venosa, perturbações cavernosas, Acidentes vasculares cerebrais (AVC).
  • Medicamentos. Anti hipertensores, antidepressivos (deprimem a libido), estrogénios e anti androgénios (deprimem a libido), digoxina.
  • Hábitos. Consumo de substâncias estupefacientes, abuso de álcool, tabagismo.
  • Outras doenças. Diabetes mellitus, insuficiência renal, hiperlipidemia, hipertensão, doença pulmonar obstrutiva crónica, colesterol elevado.

O Viagra ou citrato de sildenafila é um medicamento que está indicado para o tratamento da disfunção erétil, e é comercializado no formato de comprimidos revestidos.

As musculaturas lisas dos corpos cavernosos do pénis (estruturas eréteis essenciais do órgão sexual masculino) ao tomar este medicamento são relaxadas, provocando uma dilatação das suas artérias. Com esse aumento, o sangue entra no pénis de forma mais facilitada, promovendo a ereção quando existe um estímulo sexual.

Para que o medicamento seja eficaz, continua a ser necessário um estímulo sexual.

O Viagra é vendido em comprimidos revestidos, nas seguintes formas:

  • 25 mg ou 100 mg em embalagens contendo 4 comprimidos revestidos;
  • 50 mg em embalagens contendo 1, 2, 4 ou 8 comprimidos revestidos.

Como usar

O Viagra é tomado por via oral (pela boca). Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado. Além disso, em Portugal é importante que não tente comprar Viagra masculino sem receita.

Uso em Adultos:

A quantidade indicada é de 50 mg numa dose única, administrada quando necessário e aproximadamente 1 hora antes da relação sexual.

No que diz respeito à eficácia e tolerância do medicamento do Viagra devemos ter os seguintes valores em atenção:

  • a dose máxima recomendada é de 100 mg;
  • a dose mínima recomendada é de 25 mg.

Posto isto, os pacientes nunca deverão tomar mais do que um comprimido de Viagra por dia, sendo essa a dose recomendada para o número de comprimidos. No caso do Viagra ser administrado com alimentos, o início da atividade pode ser atrasado em comparação com o estado de jejum.

Pacientes que tomam ritonavir:

Para pacientes que tomam ritonavir é aconselhada uma dose única máxima de 25mg de citrato de sildenafila dentro de um período de 48 horas.

Portadores de insuficiência renal grave, insuficiência hepática ou pacientes que tomam inibidores da CYP3A4:

Para pacientes portadores de insuficiência renal grave (redução da função dos rins), insuficiência hepática (redução da função hepática) ou pacientes que tomam inibidores da CYP3A4 é aconselhada a dose inicial de 25mg, aumentando essa dose caso seja necessário.

Idosos:

Não é necessário ajuste de dose em doentes idosos (≥ 65 anos de idade).

Qual o tempo de duração

A ação do medicamento dura até 4 horas ou após encerrado o estímulo sexual. A receita médica é necessária para comprar Viagra em Portugal?

O Viagra é um medicamento farmacêutico que está disponível exclusivamente com receita médica nas farmácias portuguesas. Por essa razão, algumas empresas desenvolveram serviços que permitem uma prescrição online, ajudando a que os pacientes portugueses consigam comprar Viagra sem prescrição do seu médico.

Assim, o médico de família ou o urologista poderão prescrever a receita para este medicamento. O serviço de prescrição online veio ajudar muito os portugueses com estes tipos de condições ou problemas, onde atualmente conseguem mandar vir ou comprar Viagra sem receita médica de forma rápida e simples.

Preço na farmácia

O preço deste medicamento varia de farmácia para farmácia, sendo que uma unidade de 50mg pode custar cerca de 5,34€. Contudo, verifique os valores do Viagra preço na farmácia, pois poderá variar nas diferentes farmácias portuguesas, principalmente no que diz respeito à sua quantidade.

Diferenças entre o Viagra original e o genérico

Viagra genérico pode ser definido como o termo para o medicamento com o mesmo ingrediente ativo e com a mesma dosagem que o Viagra convencional. Contudo, o Viagra genérico não é vendido com o mesmo nome. O genérico e o Viagra são bio equivalentes, querendo dizer que têm a sua ação da mesma forma produzindo resultados idênticos aos pacientes que o utilizam. No entanto, por norma, o Viagra genérico é mais barato que o Viagra original. Verifique o preço deste medicamento através de sites que vendam legalmente Viagra online.

Quais cuidados devo ter ao usar

Antes de se considerar o tratamento farmacológico como o mais apropriado e tentar comprar Viagra sem receita médica, deverão ser elaborados uma história clínica e um exame físico para o diagnóstico da disfunção eréctil e determinação das potenciais causas subjacentes.

Como é de conhecimento comum, a atividade sexual promove a uma maior exigência cardíaca do que a habitual. Posto isto, os médicos de pacientes que necessitam de Viagra devem realizar avaliações das condições cardiovasculares dos seus doentes antes de prescrever tal medicamento.

Se já apresentou alguma forma de neuropatia ótica isquémica não-artrítica (lesão do nervo ótico por redução da quantidade de sangue) ou retinite pigmentosa hereditária (doença da retina, região do olho onde se forma a imagem) o uso de Viagra deve ser discutido cuidadosamente com o seu médico porque pode aumentar o risco deste tipo de situação.

Quais as contraindicações

Todos os pacientes que estejam a tomar medicamentos com óxido nítrico, nitratos orgânicos ou nitritos orgânicos não poderão tomar Viagra em simultâneo, sendo uma das contraindicações. A coadministração de inibidores da PDE5, como é o caso do Viagra, com estimuladores da guanilato ciclase está contraindicada, pois pode levar a casos de hipotensão sintomática dos pacientes. Deve, sempre, contactar o seu médico ou farmacêutico caso tenha alguma dúvida ou estiver a tomar algum medicamento com substâncias mencionada anteriormente.

Também é importante ter atenção caso tenha alguma reação alérgica ao citrato de sildenafila ou a outro componente que esteja presente na fórmula medicamentosa do Viagra. Pois, caso sofra de alguma reação anafilática destes componentes a toma de Viagra é contraindicada.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres e menores de 18 anos.

Caso o paciente seja portador de alguma destas doenças ou condições, o Viagra deve ser tomado com alguma cautela e prevenção:

  • deformações anatómicas do pénis (tais como angulação, fibrose cavernosa ou doença de Peyronie);
  • condições que podem levar a priapismo (ereção duradoura e dolorosa do órgão genital masculino), tais como leucemia, mieloma múltiplo ou anemia falciforme;
  • distúrbios hemorrágicos (sangramentos) ou com úlcera péptica ativa (ferida no estômago e/ou na parte inicial do intestino).

Caso note diminuição ou perda repentina da audição e/ou visão interrompa imediatamente o uso de Viagra e consulte o seu médico, ou ainda, em caso de persistência de ereção por mais de quatro horas. Por estas razões, é importante não comprar Viagra masculino sem receita médica e sem o acompanhamento devido do seu médico de família.

Efeitos secundários:

  • Efeitos mais comuns evidenciados pelos doentes que tomaram Viagra (mais de 10% dos pacientes): cefaleia (dor de cabeça).
  • Efeitos comuns relatados pelos pacientes que utilizaram Viagra (entre 1% a 10% dos pacientes): vermelhidão, calores, distúrbios no campo visual, coloração azulada na maior parte dos objetos que visualizam, enjoos e má digestão.
  • Efeitos pouco comuns que pacientes que tomaram Viagra relataram (entre 0,1% a 1% dos pacientes): inflamação da mucosa nasal, reações alérgicas, dores constantes na zona ocular, sensação de cores cintilantes ou intolerância à luz branca, ofuscamento visual, taquicardia, hipotensão, sangramento e congestão dos seios nasais, vómitos e dor no abdómen, erupção cutânea, dores musculares e nas extremidades e afrontamentos.
  • Efeitos raros observados nos pacientes que usaram Viagra (entre 0,01% a 0,1% dos pacientes): convulsões (ataque epilético), desmaios, edema e inchaço nos olhos, astenopia (cansaço visual), xantopsia (cor amarela em todos os objetos), eritropsia (cor vermelha em todos os objetos), hiperemia da conjuntiva (parte branca do olho avermelhada), inchaço ou aperto na garganta, nariz seco, edema nasal, ereção persistente e dolorosa do órgão sexual masculino e um aumento da ereção e irritabilidade.

O Viagra é dos medicamentos mais aconselhados para a disfunção erétil, permitindo aos homens de todas as idades ultrapassar a barreira da impotência sexual de forma a conseguirem uma ereção do pénis que permita manter o contato íntimo com a sua parceira ou parceiro, conseguindo satisfazer os seus desejos sexuais.

Os ensaios clínicos realizados ao longo dos anos demonstrou que o uso Viagra melhorou as ereções em pelo menos 70% dos homens quando comparada a 18% do grupo que recebeu apenas placebo. Posto isto, é evidente a eficácia deste medicamento e o porquê de ser o mais prescrito pelos médicos portugueses em situações de disfunção erétil.

Comprar Viagra em Portugal é um processo bastante simples, uma vez que apenas necessita de expor a sua situação ao seu médico e ele irá prescrever o melhor medicamento ou tratamento para o seu caso específico.

FAQs

Qual a dose diária que posso tomar?

A dose diária recomendada é de 50 mg (intervalo de 25 mg a 100 mg), tomada quando necessário, uma hora antes da atividade sexual. No entanto, a Viagra pode ser tomada entre 30 minutos e quatro horas antes da atividade sexual. Não exceda a dose máxima recomendada.

É seguro tomar vários dias seguidos?

É seguro tomar Viagra vários dias seguidos, desde que não seja tomado mais do que uma vez por dia.

Que quantidade é necessária para conseguir uma ereção?

Para ajudar nas ereções, a dose recomendada para adultos com idades compreendidas entre os 18 e os 64 anos é de 50 miligramas (mg). Os adultos com mais de 65 anos, por norma, começam com uma dose mais baixa, 25 mg. A dose pode ser aumentada para os 100 mg, dependendo da eficácia do medicamento e da sua tolerância.

O que acontece se tomar uma dose maior do que a recomendada?

Nunca deve tomar uma grande dose de Viagra, pois a sua dose recomendada é mais do que suficiente para a maioria dos pacientes. Contudo, se tomou uma grande quantidade de Viagra, deve procurar imediatamente ajuda profissional médica. Além disso, se dirigir-se a um posto médico ou hospital, leve consigo a embalagem e a bula do medicamento sempre que possível.

É possível acelerar os efeitos?

Não, não existe uma forma de acelerar os efeitos do Viagra. Estes comprimidos têm de ser processados no sistema digestivo para fazer efeito e, mesmo que esmague ou mastigue o comprimido, o tempo que o corpo demora a processar completamente o comprimido mantém-se praticamente o mesmo.

O que acontece se tomar 2 comprimidos num dia?

Se o Viagra não fizer efeito após 30 minutos, não tome mais do que a dose diária prescrita pelo seu médico. Nunca tome mais de 100 mg de Viagra num período de 24 horas. Demasiado Viagra pode causar fortes dores de cabeça, tensão arterial baixa e ortostatismo (queda da tensão arterial quando se está de pé), o que pode levar a desmaios.

Onde posso comprar Viagra?

Podemos comprar Viagra em qualquer farmácia tradicional, desde que se tenha a receita médica. No entanto, algumas empresas oferecem serviços de prescrição de Viagra online que permitem aos clientes portugueses comprar Viagra sem prescrição.

Posso tomar com álcool?

Consumir uma bebida alcoólica com Viagra é geralmente inofensivo e pode ajudar a criar o ambiente para a relação sexual se desenvolver. Mas o excesso de álcool pode agravar a disfunção erétil e reduzir a eficácia do medicamento.